UGT UGT

Filiado à:


Filiado Filiado 2
Home | Notícias
Home | Notícias

NOTÍCIAS

Reservas de planos de previdência desaceleram em 2017


05/03/2018

As reservas dos planos de previdência privada aberta cresceram 17,6% em 2017, um resultado inferior aos dos dois anos anteriores, segundo a Fenaprevi (federação do setor).

 

Em 2015, a alta registrada foi de 23%. Em 2016, chegou a 24%. A queda dos juros foi o principal fator para a desaceleração, afirma Edson Franco, presidente da entidade.

 

“A captação líquida foi positiva, muito similar à de 2016, o que afetou o ritmo foi a rentabilidade financeira das reservas”.

 

“Com a inflação a 3%, o crescimento é bastante significativo para o segmento”, diz.

 

O ano foi de recuperação econômica, e, por isso, o resultado deve ser percebido como positivo, afirma Marcelo Mello, vice-presidente de investimentos da SulAmérica Seguros.

 

A expectativa para 2018 é que as reservas cresçam mais do que 15%, diz Franco.

 

O número de novos contratantes no período ultrapassou a barreira dos 250 mil —um aumento de 2,02%.

 

“Tivemos uma elevação no número de participantes dos produtos de previdência de cerca de 30%”, diz Fernanda Pasquarelli, diretora da Porto Seguro.

 

“Atualmente há cerca de 13 milhões de segurados, o que representa apenas 14% da população ocupada”, afirma Franco.

 

Entre os trabalhadores formais de empresas de médio e grande porte, 88,6% não possuem nenhum tipo de previdência, de acordo com a federação.

 

Fome para comprar

 

A Sapore, de alimentação corporativa, não desistiu de fazer aquisições de redes de restaurantes  após a IMC (das marcas Viena e Frango Assado) rejeitar sua proposta de fusão, no último dia 22.

 

“Nossa decisão de iniciar operações no varejo está tomada. A primeira porta não abriu, mas estou com as mãos em outras duas”, afirma o presidente, Daniel Mendez.

 

A ideia é fechar as compras nos próximos meses, diz o executivo.

 

A empresa pretende, também, ampliar sua divisão voltada ao fornecimento de alimentos a grandes eventos. “Temos cem profissionais dedicados a estudar oportunidades de negócio.”

 

No ramo principal da Sapore, os aportes em maquinário e treinamento de funcionários serão de R$ 50 milhões neste ano.

 

“Vamos comprar fornos novos e máquinas de lavar para otimizar produção”, diz Mendez.

 

R$ 104 milhões

foi o EBITDA em 2017

 

R$ 1,75 bilhão

foi a receita no ano passado

 

15.000

é o número de funcionários

 

 

 

Previsão presidencial

 

O banco UBS estima que novo presidente do país será de centro ou de centro-esquerda e dará continuidade à agenda reformista do atual governo.

 

“Essa pessoa consolidará as reformas econômicas já iniciadas ao lidar com a questão fiscal, o que incluiria as reformas tributária e da previdência”, diz o estudo sobre investimentos em mercados emergentes.

 

Nesse cenário, a instituição financeira prevê a queda do desemprego e o crescimento do PIB nos próximos anos.

 

“Um candidato desse perfil teria a capacidade de atrair os eleitores que originalmente votariam no ex-presidente Lula ou em Jair Bolsonaro”, diz Ronaldo Patah, estrategista de investimentos da empresa.

 

“Poderia ser alguém como Geraldo Alckmin (PSDB) ou o atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD)”.

 

No caso de vitória de um candidato de esquerda, a economia poderia sofrer uma crise de confiança, os juros subiriam e o potencial de crescimento do PIB seria menor, segundo o relatório.

 

 

Crédito paulista

 

A Standard & Poor’s manteve a nota do perfil de crédito individual do estado de São Paulo em “bb+”, um nível abaixo do grau de investimento.

 

O indicador não equivale às avaliações mais amplas feitas pela agência, mas analisa isoladamente a qualidade de crédito de uma empresa ou ente federativo.

 

O rating global do estado é obrigatoriamente igual ao do Brasil (BB-), que em janeiro deste ano teve sua nota rebaixada a três níveis abaixo do selo de bom pagador.

 

“A previsão é que o estado siga comprometido com políticas fiscais prudentes nos próximos 12 meses, resultando em superávits de receita operacional superiores a 5%”, afirma a agência.

 

 

Legado da copa

 

A Imply, que fabrica controles de acesso e tíquetes para estádios, vendeu seu sistema para quatro arenas do Marrocos.

 

A companhia forneceu esse mesmo produto para a Copa do Mundo de 2014 e para times brasileiros, como Grêmio, Internacional e Atlético-PR.

 

A unidade que produz a solução se tornará uma empresa independente neste ano, diz o diretor-executivo, Tironi Ortiz. O investimento será de R$ 11 milhões.

 

Outros R$ 10 milhões irão para a criação de produtos das outras áreas: máquinas de entretenimento, como pistas de boliche, terminais de autoatendimento e painéis eletrônicos, diz Ortiz.

 

 

Rocha O grupo Guidoni, de pedras naturais, vai entrar no mercado de superfícies de quartzo. A empresa investe R$ 9 milhões em uma fábrica para moer o material.

 

Fonte: Folha de SP


Categorizado em: Geral,


logo

UGT - União Geral dos Trabalhadores


Rua Aguiar de Barros, 144 - Bela Vista - São Paulo/SP - 01316-020 - Tel.: (11) 2111-7300
© 2013 Todos os direitos reservados.