UGT UGT

Filiado à:


Filiado Filiado 2
Home | Notícias
Home | Notícias

NOTÍCIAS

SINTETEL reforça junto às empresas do setor a importância das ações de prevenção contra a pandemia


16/06/2020

 A direção do SINTETEL encaminhou, mais uma vez, às empresas do setor de telecomunicações outro ofício com o objetivo de salientar a importância de manter e até aumentar as ações de combate à pandemia, uma vez que os números de casos estão em franca ascensão.

A seguir, veja a íntegra do ofício encaminhado pelo SINTETEL:

 

Às

 EMPRESAS DO SEGMENTO DE OPERADORAS/CONCESSÍONÁRIAS DE TELECOMUNICAÇÕES, PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES, TELEATENDIMENTO E TELESSERVIÇOS NO ESTADO DE SÃO PAULO.

 

 Prezados (as) Senhores (as),

 Assunto: Recomendação/Prevenção COVID- 19  - SINTETEL

 

O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES E OPERADORES DE MESAS TELEFÔNICAS NO ESTADO DE SÃO PAULO-SINTETEL, por seus diretores infra-assinados, imbuídos no combate incessante ao Coronavírus-COVID-19,   vem  por intermédio do presente expediente, mais uma vez,   solicitar à Vossas Senhorias que cumpram fielmente   as    ações de prevenção e combate a pandemia, em conformidade com as recomendações anteriores encaminhadas pela entidade, destacando o que segue: 

 

1) Reforçar a posição com relação à importância das ações de prevenção, tendo em vista os dados oficiais que apontam um número estrondoso  nos casos confirmados de pessoas infectadas e de óbitos;

 

2) Orientar os  trabalhadores  para que redobrem  as ações de prevenção como: higienização correta das mãos com água e sabão, utilização de álcool gel, não compartilhar talheres, copos e toalhas, ao tossir ou espirrar cobrir o nariz com lenço ou espirar no braço, evitar levar as mãos não higienizadas na boca, nariz e olhos, entre outras, conforme orientações do Ministério da Saúde e das autoridades sanitárias/saúde;

 

3) Atentar-se que com a chegada do período do frio mais intenso,  poderá ocorrer uma  incidência maior de suspeitas, em virtude da Influenza, e considerando que ainda  não há testes  em quantidade satisfatória disponíveis para detectar se a  pessoa  encontra-se positivo ou não ao Coronavírus.  Nessas hipóteses a empresa deve tomar todas as precauções e  medidas de segurança  em caráter de urgência  para não expor as demais pessoas;  

 

4) Realizar estudo  que viabilize serviços mínimos de “urgência nas especialidades específicas” para evitar transtornos futuros  no tocante as eventuais suspeitas da COVID-19, inclusive disponibilizando os insumos mínimos  necessários para conter os riscos de infecção;

 

5) Manter a orientação que as  pessoas da família dos trabalhadores confeccionem máscara de proteção (barreira física) para circular em ambientes públicos, de acordo com as orientações do Ministério da Saúde https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/04/1586014047102-Nota-Informativa.pdf, respeitando a forma de confecção, higienização, materiais recomendados e descarte, tendo em vista a obrigatoriedade do seu uso pelo Decreto Estadual;

 

6) Manter a orientação aos  serviços de saúde mental interno da empresa “psíquico emocional”  que continue vigilante no sentido de dar suporte aos  trabalhadores, face às mazelas advindas da pandemia;

 7) Reiterar a posição da “Restrição Social”, para idosos e portadores de doenças pré-estabelecidas, que se enquadram no grupo de risco e que segundo as estatísticas poderão ter um agravamento do quadro clínico.

 

 8) Nas atividades de Call Center/Teleatendimento -   tendo em vista que o Decreto Federal nº 10.282/2020, art. 3º,   definiu o segmento  como atividade essencial, as empresas  deverão manter medidas que visem coibir a proliferação da pandemia, reduzindo o número de pessoas nas Centrais de Atendimento, evitando o maior contato e cumprindo de forma rigorosa as regras de prevenção, implementando assim medidas inerentes à segurança e saúde  dos trabalhadores que são obrigados a desenvolver suas funções no dia a dia,  destacamos alguns itens que entendemos  ser  indispensáveis:

 

 - Formulário prévio de pesquisa de avaliação das condições sociais, de saúde física e psicológica dos trabalhadores;

  - Palestras orientativas antes do retorno, voltadas aos cuidados pessoais aspectos de segurança e emocional dos trabalhadores  de modo a definir quem poderia ou não retornar às atividades;

  - 100% dos trabalhadores  com máscaras descartáveis com a orientação de substituição das mesmas a cada 2h ou sempre que apresentar umidade ou sujidades;

  - Álcool em gel em todos os pontos de atendimento e entrada de lojas e demais locais  onde possa ter aglomeração de pessoas, inclusive para os trabalhadores externo (campo);

  - Planilha de controle álcool e máscaras;

  - Escala de limpeza,  de  2  em 2 horas, nos  locais  com aglomerações de pessoas;

  - Vídeo médico orientativo reforçando medidas preventivas da EMPRESA;

  - Adesivos no chão na porta da loja demarcando a distância 2m;

  - Separador de filas e fitas de isolamento nas lojas dos shoppings

  -  Fitas de isolamento;

 - Entrada limitada de pessoas;

- Medir a temperatura diariamente do trabalhador, ou quando ele solicitar;

- Fazer os testes compatíveis com os trabalhadores que desenvolverem os sintomas inerentes a doença;

- Disponibilizar o maior número  possível de trabalhadores  em regime de trabalho “home office” , no período de vigência da calamidade pública  da pandemia - COVID- 19;

- Implantar divisórias de acrílico nas mesas dos refeitórios  em todos os locais -   (medida já  utilizada por algumas  empresas do segmento); 

 -  Higienização das P.A.s (pontos de atendimento) a cada troca de turno;

 -  Uso de ferramentas de trabalho individuais;

 - Distanciamento mínimo entre os que estão exercendo suas atividades de trabalho;

 -  Banir as   pontuações  e metas ou qualquer tipo de avaliação subjetiva dos envolvidos;

 -  Redução do número de pessoas nas centrais de atendimento.

 -  Banir qualquer prática de assédio moral no ambiente  de trabalho;

- Horários alternativos de entradas e saídas dos trabalhadores, evitando ao máximo expor os trabalhadores aos transportes públicos em horários de super lotação ou lotação completa; 

 - Aceitar imediatamente  os atestados médicos dos  trabalhadores que estejam com  suspeita ou infectados pela  COVID-19, inclusive com aceitação dos mesmos por qualquer tipo de mídia (ex. WhatsApp, e-mail, etc.). Devendo  ser  aplicado ao tema, no que couber,  o entendimento do  plenário do STF, no julgamento ocorrido no dia 29/04/2020,  que reconheceu a covid-19 como  doença ocupacional e permite que trabalhadores de setores essenciais que forem contaminados possam ter acesso a benefícios como auxílio-doença, protegidos pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

 

9) Com o objetivo único e exclusivo do SINTETEL  acompanhar de forma atualizada  os efeitos da COVID-19,   no âmbito de sua base de representação, a entidade  solicita os seguintes esclarecimentos, nos casos de ocorrências de trabalhadores infectados, sendo que as informações deverão ser encaminhadas pelo e-mail institucional NEGOCIACOES@SINTETEL.ORG.BR,   as quais  terão caráter sigiloso:

 

-  Quantos infectados;

 - Quantos internados;

 - Quantos recuperados/curados;

 -  Quantos óbitos;

 -  Se a empresa arcou com as despesas médicas, nos casos do trabalhador não ter plano de saúde;

 -  Se os locais onde ocorreram as infecções foram devidamente interditados, e tomados às medidas de segurança e de isolamentos específicos, para evitar novos contágios;

 -  Se a empresa concedeu a assistência aos familiares do trabalhador;

 -  Se a empresa notificou os órgãos de saúde, para fins de estatísticas e de providências por parte dos governos, em todas as esferas, inclusive para que as autoridades  tomem os cuidados para coibir novos eventos.

 

10)  Ressalta-se  que  essas  e outras   medidas se fazem-necessárias no sentido de coibir/minimizar a contaminação e com este  objetivo  o SINTETEL tem  adotado diversas  ações seguindo  as diretrizes técnicas do Ministério da Saúde e de outros órgãos responsáveis pelo tema,  pois entende que  batalha no combate à pandemia é  de todos, independentemente de posição social,  sendo a maior missão nos dias atuais, pois exige medidas enérgicas, em virtude dos acontecimentos vivenciados na cidade de São Paulo e nos grandes centros de nosso País, que vem se alastrando  de forma generalizada.

 

11)  Precisamos, num esforço conjunto e com o aval de  todos, achatar a curva epidemiológica da contaminação, para que possamos  oferecer dias melhores à nossa família e a sociedade como um todo, afinal de contas, a vida é o maior bem que temos.

 

Certo de que a solicitação será atendida, fique com os nossos votos de estima e consideração, aguardando retorno com a maior brevidade




logo

UGT - União Geral dos Trabalhadores


Rua Aguiar de Barros, 144 - Bela Vista - São Paulo/SP - 01316-020 - Tel.: (11) 2111-7300
© 2013 Todos os direitos reservados.