UGT UGT

Filiado à:


Filiado Filiado 2

ARTIGOS

Luiz Carlos Motta
Deputado federal (PR/SP), em exercício. Presidente da Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo (Fecomerciários) e presidente licenciado da UGT-SP.


Emprego digno: o melhor presente para os pais


12/08/2022

Há várias versões para o surgimento do dia dos Pais. Uma das delas, cita que a norte-americana Sonora Louise Smart Dodd, teve a ideia de homenagear o pai, Willian Jacson Smart, um veterano da Guerra Civil Americana, em 1909, enquanto assistia a uma comemoração do dia das Mães, em uma cidade no Estado de Washington. A iniciativa foi crescendo e várias instituições deram apoio.

Assim, em 19 de junho de 1910, data do aniversário de William, teria sido comemorado o primeiro Dia dos Pais da América. O símbolo do evento, teria sido a rosa: as vermelhas seriam dedicadas aos pais vivos e as brancas aos mortos.

A prática teria se espalhado pelos Estados Unidos e só foi oficializada em 1966, quando o presidente Lyndon Johnson declarou o terceiro domingo de junho, como a data perfeita para a comemoração. No entanto, há fontes que afirmam que o Dia dos Pais foi mesmo legitimado por lá, apenas em 1972, pelo presidente Richard Nixon.

Mas há uma outra versão bem mais antiga, há mais de quatro mil anos. Elmesu, filho do rei Nabucodonosor, teria moldado o primeiro “cartão do Dia dos Pais” ainda na antiga Babilônia.

Como uma singela homenagem, ele teria feito uma placa em argila em que desejava sorte, saúde e vida e vida longa ao pai Rei. Então, aquela ocasião teria dado origem a um dia de festa.

No Brasil

No Brasil o “Dia dos Pais” foi criado pelo publicitário Sylvio Bhering, que era diretor do jornal O Globo e da Rádio Globo. Foi em agosto de 1953. O objetivo era atrair mais anunciantes para esses veículos.

A proposta inicial foi associar a data, ao dia de São Joaquim, que na tradição católica, é pai de Maria e avô de Jesus. Então, o dia 16 de agosto ficou marcado como o Dia dos Pais para os brasileiros. Mas não se sabe exatamente porque, depois de algum tempo, foi decidido que o Dia dos Pais deveria ser celebrado no segundo domingo de agosto. E essa data está mantida até hoje. Importante é que a comemoração é sempre aos domingos, o que permite que a família fique mais tempo reunida nesse momento especial, o que considero muito justo.

Emprego

O problema é que milhões de pais brasileiros não terão o que comemorar neste domingo, dia 14 de agosto. Isso porque o desemprego que, segundo o IBGE, ainda ultrapassa 11 milhões de brasileiros, atinge também milhões de chefes de família.

Os números mais recentes sobre vagas de trabalho, foram divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência no mês passado. Referem-se ao mês de junho e constatam que o Brasil abriu 277 mil vagas formais de trabalho. Esse número é a diferença entre 1.898.876 pessoas contratadas e 1.620.932 pessoas desligadas de seus postos de trabalho, em junho, muitas delas demitidas.No acumulado do ano, o país registra 1.334.791 novos empregos, número menor que o ano passado no período de janeiro a junho, quando foram gerados 1.478.997 postos de trabalho, em plena pandemia.

A boa notícia é que, segundo o Governo Federal, o setor de serviços, o comércio e a agropecuária começaram um processo de saltos mais elevados na geração de empregos.

Esperança

O que os pais, empregados ou não, esperam neste domingo especial, é que a economia volte a crescer e os empregos voltem a ser oferecidos. Mas não empregos precários, informais e com baixos salários. Faço o alerta porque, até mesmo nas vagas com carteira assinada, o salário médio de admissão caiu. Em abril último, era de R$ 1.916,07. No mês seguinte, foi reduzido para R$ 1.898,02.

Em maio do ano passado era um pouco melhor: R$2.010,68. Quem ganha menos sofre mais com a inflação e a carestia.

Pai é cidadão, é provedor, tem responsabilidade para pagar suas contas e alimentar sua família. Precisa de emprego digno e de qualidade com poder de compra para girar a roda da economia e fazer o Brasil crescer. Emprego: esse é o seu maior presente!!!




logo

UGT - União Geral dos Trabalhadores


Rua Formosa, 367 - 4º andar - Centro - São Paulo/SP - 01049-911 - Tel.: (11) 2111-7300
© 2021 Todos os direitos reservados.